O Chefe do Estado Maior das Forças Armadas recebeu a visita do autor da obra “Cabo Verde uma Plataforma de Segurança Internacional”, o Tenente-coronel na Reforma Emanuel Brito

O Chefe do Estado Maior das Forças Armadas (CEMFA), Major-General Anildo Emanuel da Graça Morais recebeu a visita do autor da obra “Cabo Verde uma Plataforma de Segurança Internacional”, o Tenente-coronel na reforma Emanuel Brito, no dia 24 de março, no Estado-Maior das Forças Armadas (EMFA).

Após os cumprimentos protocolares, o Tenente-coronel na reforma Emanuel Brito ofereceu uma cópia da obra ao Chefe do Estado Maior.

Conforme declarações prestadas pelo autor, ao Centro de Informação e Relações Públicas, o livro enquadra-se num conjunto de investigações de âmbito geopolítico e geoestratégico que, por sua vez, têm como objetivo a obtenção do grau de Doutoramento em Relações Internacionais.

Segundo o autor, o livro apresenta um conjunto de medidas para o reforço da segurança em Cabo Verde. De entre essas medidas, a obra propõe a substituição do actual conceito estratégico de defesa e segurança nacional (CEDSN), por uma Estratégia de Segurança Nacional; a reorganização das Forças Armadas, de forma a priorizar as componentes aeronaval e anfíbia; e a consolidação de Cabo Verde como plataforma de segurança internacional.

O Tenente-coronel Emanuel Brito considera que o CEDSN é, sem dúvida, um bom documento orientador; mas argumenta que, à luz do actual contexto geopolítico e geoestratégico, o documento carece de adaptações, que, por um lado, confiram maior consistência à relação entre a segurança e o desenvolvimento, no nosso país e, por outro lado, capacitem melhor o país para fazer face ao risco que representam as acções terroristas, actualmente em curso em países vizinhos.

Mais considera o autor que, sendo certo que, o modelo actual de organização das Forças Armadas, representa uma etapa superior de reorganização da nossa instituição militar, deve o mesmo evoluir, de modo consistente e duradoiro, para uma estrutura em que a componente aeronaval (entenda-se Guarda Costeira) e a anfíbia (o Corpo de Fuzileiros) passem a ocupar lugares de primeira grandeza, sem excluir, sublinha, a componente polícia militar. 

A consolidação de Cabo Verde como plataforma de segurança nacional constitui, conforme declarações do autor, a principal proposta do livro. Segundo o Tenente-coronel Emanuel Brito, esta ideia visa explorar, com mais eficácia, as sinergias decorrentes do acolhimento do exercício da NATO, Steadfast Jaguar 2006. Defende o autor da obra que, tendo demonstrado capacidade para acolher um exercício da NATO – o primeiro do género em Africa – o nosso país deve continuar a atrair para o seu território eventos similares, de modo a posicionar-se como referência em matéria de segurança internacional, na região em que se insere.

O Tenente-coronel na reforma Emanuel Brito foi incorporado a 3 de Março de 1975. Detém o grau de «Master of Arts» em Ciências Históricas, é Auditor de Defesa Nacional do Instituto de Defesa Nacional de Portugal e possui formação militar superior. Foi Director-Geral de Defesa e Cooperação Militar e Gestor do Projecto Anti-Narcotráfico, do Escritório das Nações Unidas, em Cabo Verde.

 

 

  • Pupilos
  • Policlínica